jordan

Administrador
  • Content count

    643
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    24

Everything posted by jordan

  1. Vamos concentrar todas as informações sobre a revisão de 10.000Km neste tópico. Coloquem o que foi feito, a concessionária e, se quiser, algum comentário sobre o serviço, atendimento, ou o que mais acharem pertinente. ONIX 2013 - 2016 1ª Revisão: 10.000Km ou 12 meses O que deve ser feito: troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo e do filtro de óleo. Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$49,00 - 4 x R$47,00 - 4 x R$49,00 - 4 x R$48,00 - 4 x R$55,00 ONIX 2017 > 1ª Revisão: 10.000Km ou 12 meses O que deve ser feito: Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$56,00 Agendamento Online Localizar uma concessionária
  2. Preços atualizados.
  3. O Chevrolet Onix é oferecido em 5 versões com garantia de 3 anos: Motor 1.0 8V SPE/4* Flex Potência 78/80 cv (gasolina/etanol) a 6.400rpm Torque: 9,5/9,8 kgfm a 5.200rpm Onix LT 1.0 R7E - R$44.890,00 - R$45.690,00 - Airbag duplo / Alarme Anti-furto / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Espelhos retrovisores externos na cor do veículo / Faróis com superfície interna preta (máscara negra) / Grade frontal com detalhes em prata "Link Silver" / Maçanetas externas na cor do veículo / Roda de aço aro 14" com calotas integrais / Ar condicionado / Direção Elétrica Progressiva / Transmissão manual de seis velocidades / Trava elétrica nas portas / Vidro elétrico nas portas dianteiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave / Banco do motorista com regulagem de altura / Banco traseiro rebatível / Rádio AM / FM stereo (RDS), MP3/WMA player, Bluetooth, entrada auxiliar e leitor USB / Tecnologia OnStar. Onix LT 1.0 R7F - R$46.290,00 - R$47.150,00 - Airbag duplo / Alarme Anti-furto / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Espelhos retrovisores externos na cor do veículo / Faróis com superfície interna preta (máscara negra) / Grade frontal com detalhes em prata "Link Silver" / Maçanetas externas na cor do veículo / Roda de aço aro 14" com calotas integrais / Ar condicionado / Direção Elétrica Progressiva / Transmissão manual de seis velocidades / Trava elétrica nas portas / Vidro elétrico nas portas dianteiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave / Banco do motorista com regulagem de altura / Banco traseiro rebatível / Tecnologia OnStar /Abertura do porta malas por controle remoto / Volante com controle das funções do rádio e telefone / Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 7", integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Entrada USB e Aux-in, Função Audio Streaming, Conexão Bluetooth para Celular e configurações do veículo. Pintura metálica: Preto Ouro Negro, Vermelho Carmim, Prata Switchblade e Cinza Graphite; R$1.350 / Pintura sólida: Branco Summit R$600. Motor 1.4 8V SPE/4* Flex Potência 98/106 cv (gasolina/etanol) a 6.000rpm Torque: 13,0/13,9 kgfm a 4.800rpm Onix LT 1.4 R7H - R$49.590,00 - R$50.790,00 - Airbag duplo / Alarme Anti-furto / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Espelhos retrovisores externos na cor do veículo / Faróis com superfície interna preta (máscara negra) / Grade frontal com detalhes em prata "Link Silver" / Maçanetas externas na cor do veículo / Ar condicionado / Direção Elétrica Progressiva / Transmissão manual de seis velocidades / Trava elétrica nas portas / Vidro elétrico nas portas dianteiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave / Banco do motorista com regulagem de altura / Banco traseiro rebatível / Abertura do porta malas por controle remoto / Volante com controle das funções do rádio e telefone / Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 7", integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Entrada USB e Aux-in, Função Audio Streaming, Conexão Bluetooth para Celular e configurações do veículo / Tecnologia OnStar / Roda de aço aro 15" com calotas integrais / Sensor de estacionamento traseiro. Onix LT 1.4 R7I - R$54.790,00 - R$55.890,00 - Airbag duplo / Alarme Anti-furto / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Espelhos retrovisores externos na cor do veículo / Faróis com superfície interna preta (máscara negra) / Grade frontal com detalhes em prata "Link Silver" / Maçanetas externas na cor do veículo / Ar condicionado / Direção Elétrica Progressiva / Trava elétrica nas portas / Vidro elétrico nas portas dianteiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave / Banco do motorista com regulagem de altura / Banco traseiro rebatível / Abertura do porta malas por controle remoto / Volante com controle das funções do rádio e telefone / Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 7", integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Entrada USB e Aux-in, Função Audio Streaming, Conexão Bluetooth para Celular e configurações do veículo / Roda de aço aro 15" com calotas integrais / Sensor de estacionamento traseiro / Tecnologia OnStar / Volante com revestimento premium / Controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante / Transmissão automática de seis velocidades com opção de troca manual de marchas "Active Select". Onix LTZ 1.4 R7K - R$54.490,00 - R$55.750,00 - Airbag duplo / Alarme Anti-furto / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Faróis com superfície interna preta (máscara negra) / Maçanetas externas na cor do veículo / Ar condicionado / Direção Elétrica Progressiva / Transmissão manual de seis velocidades / Trava elétrica nas portas / Banco do motorista com regulagem de altura / Banco traseiro rebatível / Abertura do porta malas por controle remoto / Volante com controle das funções do rádio e telefone / Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 7", integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Entrada USB e Aux-in, Função Audio Streaming, Conexão Bluetooth para Celular e configurações do veículo / Sensor de estacionamento traseiro / Volante com revestimento premium / Tecnologia OnStar/ Faróis de neblina / Luz de posição em LED / Espelhos retrovisores externos elétricos na cor do veículo / Faróis com detalhes cromados / Grade frontal com detalhes cromados / Maçanetas internas cromadas / Roda de alumínio aro 15" com superfície usinada / Computador de bordo / Vidro elétrico nas portas dianteiras e traseiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave / Bancos de tecido com revestimento premium. Onix LTZ 1.4 R7L (automático) - R$59.790,00 - R$60.950,00 - Airbag duplo / Alarme Anti-furto / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Faróis com superfície interna preta (máscara negra) / Maçanetas externas na cor do veículo / Ar condicionado / Direção Elétrica Progressiva / Trava elétrica nas portas / Banco do motorista com regulagem de altura / Banco traseiro rebatível / Abertura do porta malas por controle remoto / Volante com controle das funções do rádio e telefone / Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 7", integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Entrada USB e Aux-in, Função Audio Streaming, Conexão Bluetooth para Celular e configurações do veículo / Sensor de estacionamento traseiro / Volante com revestimento premium / Faróis de neblina / Luz de posição em LED / Espelhos retrovisores externos elétricos na cor do veículo / Faróis com detalhes cromados / Grade frontal com detalhes cromados / Maçanetas internas cromadas / Roda de alumínio aro 15" com superfície usinada / Computador de bordo /Vidro elétrico nas portas dianteiras e traseiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave / Bancos de tecido com revestimento premium / Tecnologia OnStar / Controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante / Transmissão automática de seis velocidades com opção de troca manual de marchas "Active Select". Pintura metálica: Preto Ouro Negro, Vermelho Carmim, Prata Switchblade e Cinza Graphite; R$1.350 / Pintura sólida: Branco Summit R$600. Onix 1.4 Active R7Q - R$57.190,00 - R$58.490,00 - Airbag duplo / Alarme Anti-furto / Faróis de neblina / Luz de posição em LED / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Espelhos retrovisores externos elétricos na cor preta "High Gloss" / Faróis com superfície interna preta (máscara negra) / Faróis com detalhes em preto "High Gloss" / Grade frontal com detalhes preto "High Gloss" / Maçanetas externas na cor do veículo / Maçanetas internas cromadas / Moldura de proteção lateral nas cores prata "Aquarium Silver" e preto "Anthracite" / Parachoques exclusivos da versão Activ pintados na cor do veículo / Porta-óculos no console de teto / Rack de teto / Roda de alumínio aro 15" com superfície usinada e design exclusivo da versão Activ / Volante com revestimento premium / Abertura do porta malas por controle remoto / Ar condicionado / Câmera de Ré / Computador de bordo / Controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante / Direção Elétrica Progressiva / Sensor de chuva com ajuste automático de intensidade do limpador de para-brisa / Sensor de estacionamento traseiro / Transmissão manual de seis velocidades / Trava elétrica nas portas / Vidro elétrico nas portas dianteiras e traseiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave / Volante com controle das funções do rádio e telefone / Banco de tecido exclusivo para a versão Activ / Banco do motorista com regulagem de altura / Banco traseiro rebatível / Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 7", integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Entrada USB e Aux-in, Função Audio Streaming, Conexão Bluetooth para Celular e configurações do veículo / Tecnologia OnStar. Onix 1.4 Active R7R (automático) - R$62.290,00 - R$63.590,00 - Airbag duplo / Alarme Anti-furto / Faróis de neblina / Luz de posição em LED / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Espelhos retrovisores externos elétricos na cor preta "High Gloss" / Faróis com superfície interna preta (máscara negra) / Faróis com detalhes em preto "High Gloss" / Grade frontal com detalhes preto "High Gloss" / Maçanetas externas na cor do veículo / Maçanetas internas cromadas / Moldura de proteção lateral nas cores prata "Aquarium Silver" e preto "Anthracite" / Parachoques exclusivos da versão Activ pintados na cor do veículo / Porta-óculos no console de teto / Rack de teto / Roda de alumínio aro 15" com superfície usinada e design exclusivo da versão Activ / Volante com revestimento premium / Abertura do porta malas por controle remoto / Ar condicionado / Câmera de Ré / Computador de bordo / Controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante / Direção Elétrica Progressiva / Sensor de chuva com ajuste automático de intensidade do limpador de para-brisa / Sensor de estacionamento traseiro / Trava elétrica nas portas / Vidro elétrico nas portas dianteiras e traseiras com acionamento por "um toque", anti esmagamento e fechamento/abertura automática pela chave / Volante com controle das funções do rádio e telefone / Banco de tecido exclusivo para a versão Activ / Banco do motorista com regulagem de altura / Banco traseiro rebatível / Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 7", integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Entrada USB e Aux-in, Função Audio Streaming, Conexão Bluetooth para Celular e configurações do veículo / Tecnologia OnStar / Transmissão automática de seis velocidades com opção de troca manual de marchas "Active Select". Pintura metálica: Preto Ouro Negro, Vermelho Carmim, Prata Switchblade e Cinza Graphite R$1.350 / Pintura metálica: Laranja Burning R$1.550 / Pintura sólida: Branco Summit R$600. Onix 1.0 Joy R7C - R$38.990 - R$40.390,00 - Airbag duplo / Monitoramento de pressão de pneus / Sistema de freios com ABS, EBD / Parachoques pintados na cor do veículo / Roda de aço aro 14" com calotas integrais / Ar condicionado / Direção Elétrica Progressiva / Transmissão manual de seis velocidades / Vidro elétrico nas portas dianteiras / Banco traseiro rebatível / Provisão para instalação de rádio / Tecnologia OnStar. Pintura metálica: Preto Ouro Negro R$0,00 / Pintura metálica: Prata Switchblade R$1.350 / Pintura sólida: Branco Summit, Vermelho Pull Me Over R$600. *Smart Performance Economy 4 Cylinders
  4. ONIX 2013 - 2016 4ª Revisão: 40.000Km ou 48 meses O que deve ser feito: Substituição do filtro de óleo, de combustível e do sistema de ventilação. Troca do óleo e do fluído de freio (mandatória a cada 2 anos). Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$100,00 - 4 x R$98,00 - 4 x R$96,00 - 4 x R$114,00 - 4 x R$107,00 - 4 x R$120,00 ONIX 2017 > 4ª Revisão: 40.000Km ou 48 meses O que deve ser feito: Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Substituir fluido de freio a cada 2 anos. Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$107,00 Agendamento Online Localizar uma concessionária
  5. ONIX 2013 - 2016 3ª Revisão: 30.000Km ou 36 meses O que deve ser feito: Substituição do filtro de combustível, filtro de ar, filtro de óleo, troca do óleo e substituição das velas de ignição. Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$127,00 - 4 x R$136,00 - 4 x R$157,00 - 4 x R$144,00 - 4 x R$153,00 - 4 x R$164,00 ONIX 2017 > 3ª Revisão: 30.000Km ou 36 meses O que deve ser feito: Substituição do filtro de combustível, filtro de ar, filtro de óleo, troca do óleo, anel de vedação do bujão do cárter e substituição das velas de ignição. Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$153,00 Agendamento Online Localizar uma concessionária
  6. A Chevrolet vai lançar em breve uma nova versão do Onix. Conforme divulgado pela marca nesta quarta-feira, 8, trata-se de uma variante com apelo esportivo, que inclusive teve seu primeiro teaser liberado, deixando à mostra parte da dianteira da carroceria. Como a própria fabricante já adiantou, o modelo terá apenas visual e acabamento exclusivos, deixando de lado um conjunto mecânico mais “apimentado”. Como dá para notar na imagem, o novo Chevrolet Onix “esportivo” vai se diferenciar pelos faróis com máscara negra, grade dianteira com moldura e filetes escurecidos, spoiler, moldura das luzes de neblina na cor preta e um adesivo em preto e branco imitando uma bandeira quadriculada. É de se esperar que o carro ofereça ainda saias laterais, rodas exclusivas, lanternas escurecidas e aerofólio mais pronunciado. Por dentro, acredita-se que as alterações serão restritas a apenas bancos com novo padrão de revestimento e, provavelmente, volante com base achatada. É provável que o novo modelo siga os mesmos passos do Onix Effect, introduzido no mercado brasileiro no início de 2015. Já sob o capô, a nova versão do Onix deverá ostentar o mesmo motor 1.4 litro, que desenvolve até 106 cavalos de potência e 13,9 kgfm de torque, associado a um câmbio manual de seis marchas. O lançamento do Onix “esportivo” acontecerá ainda neste semestre. O preço? É de se esperar algo em torno de R$ 55 mil. Fonte: Notícias Automotivas
  7. Lembra daquele Onix com apelo esportivo que a Chevrolet divulgou em teaser na última quarta-feira (9)? O novo modelo nada mais é que a linha 2017 do Onix Effect, que foi introduzido no mercado brasileiro há cerca de dois anos, mas acabou sendo descontinuado após a chegada da versão reestilizada do hatch. E o portal BlogAuto conseguiu flagrar a novidade, que deixou à mostra todos os seus detalhes externos e internos. Como dá para notar, o Chevrolet Onix Effect 2017 vai repetir a mesma receita da versão anterior. Entre as novidades, haverá grade dianteira com acabamento escurecido; adesivos no para-choque, parte inferior das portas e tampa do porta-malas, rodas de liga-leve de 15 polegadas (as mesmas do LTZ) com pintura em cinza grafite, faróis e lanternas escurecidos, teto e capa dos retrovisores em preto brilhante, entre outros. Há ainda spoilers, saias laterais, aerofólio em preto brilhante, acabamento em preto na área da placa traseira e o nome da versão posicionado nas portas dianteiras. O interior oferece moldura das saídas de ar e detalhes do volante em um tom de laranja, painel de instrumentos com grafismo exclusivo, bancos em couro e tecido com costuras contrastantes e volante multifuncional com base achatada (o mesmo do Effect antigo). A lista de equipamentos deverá ser a mesma do LTZ, com direito a monitoramento da pressão dos pneus, sistema multimídia MyLink, sistema OnStar, computador de bordo, sensor de estacionamento traseiro, ar-condicionado, vidros, travas e retrovisores elétricos, faróis e lanterna de neblina, entre outros. O motor será o mesmo 1.4 litro flex de quatro cilindros, que consegue desenvolver 98 cv com gasolina e 106 cv com etanol, a 6.000 rpm, e torque de 13 e 13,9 kgfm, respectivamente, a 4.800 rpm, associado a um câmbio manual de seis marchas. Espera-se que o novo Chevrolet Onix Effect 2017 seja oferecido por cerca de R$ 55 mil. Fonte: Notícias Automotivas
  8. Câmbio automático em carro 1.4? Foi com alto grau de desconfiança que recebi a informação de que o Onix ganharia transmissão automática. Isso foi na época do lançamento do carro, no final do ano passado, e era apenas um anúncio. Com câmbio manual eu já havia gostado do carro, nas duas versões de motorização (1.0 e 1.4). Mas câmbio automático tira potência, por causa do conversor de torque. Por isso, eu estava com o pé atrás. Uns dois metros atrás, aliás. Portanto, estava ansioso para andar no carro. Acabei de sair dele, a propósito. Para começar, posso dizer que fiquei feliz com o fato de a Chevrolet ter optado por esse câmbio (GF6), em vez do automatizado, Easytronic, ainda oferecido no Agile. Ponto para a Chevrolet, porque andei nesse Agile há algum tempo e ainda me lembro claramente dos trancos que ele dá. Não deixou saudades. O Onix, ao contrário, chega com a mesma transmissão que equipa o Cruze, além de Sonic, Cobalt e Spin. É um bom começo. Mas minha desconfiança permanecia. Nesses veículos, ele mostra suavidade nas trocas. Em todos eles, porém, essa caixa está associada a motores maiores e mais fortes. Agora, estamos num veículo 1.4. Isso muda tudo. Saio e ele começa bem. No plano, em caminhos urbanos, o Onix LTZ vai cativando tanto quanto a versão manual. Sem contar o que se ganha em conforto, claro. Noto, de cara, que ele está programado para evitar trabalho em rotações muito baixas. Basta o giro cair um pouco que ele já reduz uma marcha, com um leve tranco. Por “saber” que seu novo parceiro 1.4 tem lá suas limitações, o câmbio está programado para segurar um pouco mais as marchas antes da troca. Esse motor passou por alterações para equipar o Onix. Tem 106 cv com etanol e 98 cv com gasolina. O torque é de 13,9 kgfm com etanol e 13,0 kgfm com gasolina. São números razoáveis para um motor dessa cilindrada, mas, no caso do torque, ele está disponível a 4.800 rpm. Por isso, é preciso não ter muita pena do acelerador, porque senão as respostas ficam lentas, embora a Chevrolet informe que 90% do torque esteja disponível a 2.300 giros. Na cidade, o Onix acompanha bem o ritmo do trânsito, mas na estrada o hatch sente um pouco mais. Andei mais de 500 km com ele em rodovias, e posso dizer que ele vai muito bem em planos, em velocidade de cruzeiro. Já nos aclives… Em subidas, a gente percebe claramente que o conjunto motor-câmbio está no limite para o carro. Basta aparecer uma inclinação que a rotação cai, idem para a velocidade. É nessa hora que a transmissão sente que é preciso jogar uma marcha para baixo, para “buscar” um pouco mais de ânimo e enfrentar a rampa. Por conta dessa escassez, as trocas são frequentes, o que não ocorreria se o motor fosse maior. Se o motorista quiser, pode trocar as marchas manualmente, por meio do botão localizado na própria alavanca. Para isso, basta selecionar na guia de engates o modo M. Números da montadora indicam aceleração de 0 a 100 km/h em 12,0 segundos com etanol e 12,7 s com gasolina. A máxima é de 171 km/h. No geral, o Onix automático é muito mais útil no uso urbano, principalmente nas grandes cidades. Na estrada, ele requer um pouco de paciência, especialmente em trajetos com aclives. Em termos de consumo, o hatch está na média. Abastecido com gasolina, o modelo fez 8,8 km/l na cidade (o que não é lá grande coisa) e 14,1 km/l na estrada (o que é bom). A transmissão é oferecida como opcional nas duas versões do Onix 1.4 (LT e LTZ). Na LT, ela eleva o preço para R$ 43.790, e vem associada ao controle de cruzeiro, com comandos no volante. Na LTZ, como a testada, ela sai por R$ 47.690. Nesse caso, ela acrescenta R$ 3 mil ao valor do carro, e também vem acompanhada pelo controle de velocidade. O valor é um pouco elevado para um veículo desse porte, mas essa transmissão é bem sofisticada para o segmento. Perde só para a Powershift do New Fiesta (automatizada de dupla embreagem). Mas aí já estamos falando em um carro de faixa superior, e com preço na casa dos R$ 50 mil – R$ 49.990, para ser exato (versão 1.6 SE). Além do Onix, a opção automática está sendo oferecida também no Prisma, com a mesma motorização 1.4. É preciso levar em conta também que, com câmbio automático, o Onix passa a ser uma opção a portadores de necessidades especiais, que podem comprar o veículo com isenção de impostos, e, portanto, por preço bem mais vantajoso. Além do câmbio automático, o Onix é o mesmo carro agradável de sempre. Tem boa isolação acústica, e bom comportamento dinâmico. A direção hidráulica está bem calibrada, e a suspensão agrada tanto pela maciez como pela estabilidade. Nessa versão LTZ, vem com rodas de liga leve aro 15, e pneus 185/65. O visual do carro também é bem arrojado. Está ali brigando em modernidade com Hyundai HB20 e Ford New Fiesta. O kit multimídia MyLink (opcional) continua a ser um dos grandes diferenciais do modelo. Item normalmente disponível apenas em veículos de categoria superior, oferece uma grande tela sensível ao toque, de sete polegadas, para controlar som e telefonia (Bluetooth), além de permitir baixar fotos, por exemplo. O carro não tem comandos de som no volante, mas a tela fica bem próxima da mão, facilitando o acesso. De qualquer forma, é preciso desviar um pouco a atenção para o manuseio. O quadro de instrumentos (com velocímetro digital) é simples e moderno, e o acabamento agrada. Painel, laterais e bancos utilizam material de boa qualidade. O espaço é razoável para pessoas, mas limitado para carga. O porta-malas tem capacidade para 280 litros. Por tudo isso, é um carro de tendência mais urbana que rodoviária. Chevrolet Onix LTZ 2014 automático – Ficha técnica Carroceria / motorização: Hatchback 5 passageiros, 4 portas, motorização dianteira, tração dianteira Construção: Aço galvanizado nos painéis exteriores Fabricação: Gravataí, Rio Grande do Sul, Brasil MOTOR Modelo: 1.4 SPE/4 Disposição: Transversal Número de cilindros: 4 em linha Cilindrada (cm3): 1.389 Diâmetro e Curso (mm): 77,6 x 73,4 Válvulas: SOHC, duas válvulas por cilindro Injeção eletrônica de combustível: M.P.F.I. (Multi Point Fuel Injection) Taxa de compressão: 12,4:1 Potência máxima líquida (ABNT NBR 5484 – ISO 1585): Etanol: 106 cv a 6.000 rpm Gasolina: 98 cv a 6.000 rpm Torque máximo líquido (ABNT NBR 5484 – ISO 1585): Etanol: 13,9 kgfm (136 Nm) a 4.800 rpm Gasolina: 12,9 kgfm (127 Nm) a 4.800 rpm Combustível recomendado: Gasolina comum e/ou Etanol Rotação máxima do motor (rpm): 6.300 Bateria: 12V, 40Ah (50Ah com ar-condicionado) Alternador: 80A (100A com ar-condicionado) TRANSMISSÃO Modelo: GF6 Automática de 6 velocidades à frente sincronizadas Relação de marchas: Primeira: 4,449 Segunda: 2,908 Terceira: 1,893 Quarta: 1,446 Quinta: 1,00 Sexta: 0,742 Ré: 2.871 Diferencial: 4,11 CHASSIS/SUSPENSÃO Dianteira: Independente McPherson, molas helicoidais com carga lateral, amortecedores telescópicos e barra estabilizadora Traseira: Semi-independente com eixo de torsão, molas helicoidais, amortecedores telescópicos hidráulicos pressurizados a gás Direção: Hidráulica, pinhão e cremalheira Direção redução: 18,3:1 Direção número de voltas (batente a batente): 3,2 Diâmetro de giro (m): 10,43 FREIOS Tipo: Discos dianteiros, tambor traseiro Disco diâmetro x espessura (mm): Dianteiro: 240 x 20; traseiro 200 x 31,5 RODAS/PNEUS Roda: 15 x 5,5 (alumínio – LTZ) Pneus: 185/65 R15 DIMENSÕES Distância entre eixos (mm): 2.528 Comprimento total (mm): 3.930 Largura carroceria (mm): 1.705 Altura (mm): 1.484 Bitola (mm): Dianteira: 1.487; traseira: 1.493 Altura mínima do solo (mm): 130 Peso em ordem de marcha (kg): 1.108 (LTZ com transmissão automática) Distribuição de peso (% dianteira/traseira): 64/36 CAPACIDADES Porta-malas (litros): 280 Carga útil (kg): 372 (LTZ com transmissão automática) Tanque de combustível (litros): 54 Óleo do motor (litros): 3,25 (3,50 com o filtro) Sistema de refrigeração (litros): 5,40 DESEMPENHO Velocidade máxima (km/h): Etanol: 171 Gasolina: 171 Aceleração 0 a 100 km/h (s): Etanol: 12s0 Gasolina: 12s7 Fonte: Notícias Automotivas
  9. O Chevrolet Onix tem uma vantagem superior a 25 mil carros sobre o Hyundai HB20, o vice-líder (Foto: Divulgação) Assim como o Palmeiras no futebol, o Chevrolet Onix é o campeão antecipado da temporada da indústria automobilística. Faltando apenas um mês para fechar 2016, o Onix tem uma vantagem superior a 25 mil carros sobre o Hyundai HB20, o vice-líder. A média de vendas do Onix é de 12,3 mil carros/mês; a do HB20 é de 9,9 mil. Portanto, é uma diferença impossível de tirar e a General Motors já pode mandar fazer a faixa de bicampeão para seu hatch compacto. E não foi um título qualquer. O Onix chega ao bi com um desempenho melhor do que teve no ano passado. Esse ano, o carro passou pelo seu primeiro face-lift e se tornou ainda mais competitivo. Sem dormir sobre os louros da vitória, a GM soube melhorar seu modelo campeão na hora certa. Assim, além de dar fazer algumas modificações estéticas, deu ao Onix dois novos motores (1.0 e 1.4), lançou uma versão aventureira (Onix Activ) e criou uma nova versão de entrada (Onix Joy). O Onix ficou mais potente e mais econômico, subindo para nota A de consumo na classificação geral do Inmetro em quase todas as versões, além de conseguir o selo de eficiência energética do Conpet. Para além disso, a GM fez um upgrade na central multimídia MyLink e introduziu no modelo o sistema On Star (assistente pessoal ao condutor em tempo real). O Chevrolet Onix é fabricado em Gravataí (RS) e caminha rapidamente para atingir 600 mil unidades produzidas desde seu lançamento, em 2012. O reposicionamento da linha Chevrolet em 2016 também transformou o Onyx Joy no carro mais barato da marca (R$ 39.590). Assim, a GM ganhou tempo e não precisa entrar correndo na aventura da produção de um modelo de entrada subcompacto, como era o plano inicial. A Volkswagen e a Fiat não tiveram a mesma sorte e ainda sofrem com as vendas modestas do Up e do Mobi. Muitas vezes um carro ganha a liderança do mercado por causa de suas vendas diretas, aquelas que são feitas para frotistas, taxistas e governos. Um contrato com uma grande locadora pode significar a salvação para alguns. Mas não foi isso que aconteceu com o Onix. Seu desempenho de vendas é bastante equilibrado entre atacado e varejo. O bicampeão brasileiro de vendas é líder nos dois quesitos. Na comercialização direta, o Onix teve 38,5 mil unidades vendidas, contra 29,7 mil do HB20. Nas concessionárias da rede Chevrolet, o Onix alcançou 96,4 mil vendas, enquanto o HB20 somou 81,8 mil nas revendas Hyundai. Um desempenho impressionante, se considerarmos que o Onix não é exatamente barato. Além da versão Joy 1.0, o carro tem mais uma versão 1.0 LT de R$ 44.890 e três versões 1.4 (LT, LTZ e Activ) de R$ 49.890 a R$ 57.490. Se você olhar com uma lupa, pode encontrar no mercado carros mais interessantes do que o Onix, dependendo de suas necessidades de uso e de sua disponibilidade financeira. Mas não resta dúvida: o Onix é, sim, uma boa compra. Quem quer um carro compacto para rodar na cidade, tem nas versões 1.0 opções econômicas e relativamente acessíveis. Quem precisa usar o carro na cidade e na estrada, encontra nas versões 1.4 uma mistura de agilidade e economia no trânsito urbano com desempenho honesto nas viagens. E para quem busca versatilidade em um hatch compacto mais bem equipado, o Onix Activ entrega esse algo mais. Assim se faz um líder. Da mesma forma que o Palmeiras foi corrigindo seus pontos fracos ao longo do campeonato, a GM soube melhorar seu carro-chefe quando sua liderança era mais folgada. Por isso ele é bicampeão antecipado. Fonte: Isto é
  10. Chevrolet MyLink Dentro do Onix, divirta-se com o exclusivo Sistema Mylink: uma tela LCD touch screen de 7" que reproduz vídeos, fotos, músicas, aplicativos de smartphones, além de fazer ligações. AUDIO Radio AM/FM Pode armazenar até 35 estações favoritas. Entradas USB e Aux-in Permite a reprodução de músicas de qualquer dispositivo USB compatível, como pen drives, smartphones, tocadores de MP3 ou iPod/iPhone. O MyLink também incorpora algumas das funções básicas do iPod. Acesse suas playlists ou procure por álbuns, artistas e músicas. Você pode também utilizar a função shuffle e deixar o MyLink criar uma playlist para você. Para isso conecte o seu iPod na entrada USB. Bluetooth Streaming Audio O Bluetooth Audio Streaming permite a você ouvir suas músicas no MyLink sem a necessidade de utilizar cabos. Primeiro é necessário que você pareie o seu dispositivo ou smartphone Bluetooth com o MyLink. Se o seu dispositivo ou smartphone for compatível com o Audio Streaming (transferência de áudio sem fios), as músicas armazenadas nele irão tocar no MyLink e alto-falantes do veículo. http://www.youtube.com/watch?v=Ksspgk7RYDM FOTO E VIDEO Conecte um dispositivo nas entradas USB ou Aux-in, localizadas no console central, para que o MyLink projete na tela LCD as imagens de fotos e vídeos salvos no seu dispositivo. Após selecionar a função Foto e Vídeo no menu HOME, clique no menu “Source” e escolha “USB (Filme)” ou “Aux (Filme)" para visualizar arquivos de vídeo. Escolha “USB (Fotos)” para visualizar arquivos de foto. Para visualizar as imagens é necessário que o veículo não esteja em movimento. Formatos de arquivo O MyLink reconhece os arquivos de fotos nos seguintes formatos: .jpg, .bmp, .png ou .gif. Para os arquivos de vídeo ele reconhece os formatos: .avi, .mpg, .mp4, .divx, .xvid ou .wmv. http://www.youtube.com/watch?v=ggWSN38seqo TELEFONE Por meio da função telefone você pode discar para o número desejado, acessar sua agenda de contatos e ainda ver o seu histórico de ligações (chamadas recebidas, realizadas e perdidas). O primeiro passo para utilizar essas funções é parear seu celular Bluetooth com o MyLink. Após o pareamento você terá acesso a todas essas funções do telefone. Para maior privacidade o MyLink permite que você transfira automaticamente uma ligação do modo viva-voz para o seu celular. Basta pressionar o botão Modo Privado localizado no canto inferior direito da tela. Também é possível cortar o som do microfone pressionando o botão Mudo. http://www.youtube.com/watch?v=rlQw-DFsd6k SMARTPHONE APPS Stitcher O aplicativo Stitcher já vem instalado no MyLink. Com ele é possível acessar por meio da internet do seu smartphone os seus podcasts favoritos sem sair do veículo. Ele permite acessar conteúdo de canais importantes como CBN, rádio Bandeirantes, CNN, Fox News, ESPN e vários outros canais do mundo todo.Para utilizar o Stitcher primeiramente é necessário que você tenha o aplicativo instalado no seu smartphone e uma conta ativa no Stitcher. Para instalar o aplicativo em seu smartphone basta acessar a loja iTunes App Store para iPhone ou a loja Google Play para smartphones Android, e fazer o download do aplicativo. Após a instalação do aplicativo, é necessário que o Bluetooth do seu smartphone esteja pareado com o MyLink. Após parear, clique na função Smartphone Apps do menu HOME do MyLink e depois clique no ícone do Stitcher para iniciar. Quando o Stitcher for iniciado, através da tela do MyLink, pressione o botão “MENU” para navegar pela lista de estações que estarão organizadas por tipo de assunto. Para ouvir o podcast basta clicar na opção desejada. Para salvar podcasts na sua lista de favoritos, basta pressionar o botão com o símbolo de estrela enquanto estiver ouvindo. Você também pode avaliar um podcast, caso tenha gostado ou não, pressionando os botões com um símbolo de “Curtir” e “Não Curtir”. Com o tempo, o Stitcher irá aprender as suas preferências e irá sugerir podcasts de acordo com o seu perfil. Para mais informações sobre o Stitcher™, acesse www.stitcher.com. http://www.youtube.com/watch?v=aDuVsv2PEcs CONFIGURAÇÕES DO VEÍCULO O MyLink permite que você ajuste algumas configurações do veículo de acordo com sua preferência pessoal. Para acessar esses ajustes, basta clicar na função Configurações no menu HOME. http://www.youtube.com/watch?v=aBR5h43eoGk Mais Informações: FAQ My Link Chevrolet
  11. Pelo 2º ano consecutivo, o Chevrolet Onix foi o veículo novo mais vendido do Brasil. O hatch encerrou 2016 com 153.372 emplacamentos, superando o HyundaiHB20, que vendeu 121.616 unidades. Os dois foram os únicos modelos a superar a marca de 100 mil carros comercializados no ano. O "pódio" é completado pelo Ford Ka, que teve 76.616 exemplares vendidos. Veja os 10 mais vendidos em 2016: 1) Chevrolet Onix: 153.372 unidades 2) Hyundai HB20: 121.616 3) Ford Ka: 76.616 4) Chevrolet Prisma: 66.337 5) Toyota Corolla: 64.740 6) Fiat Palio: 63.996 7) Renault Sandero: 63.228 8) Fiat Strada: 59.449 9) Volkswagen Gol: 57.390 10) Honda HR-V: 55.758 O grande trunfo do Onix para seguir à frente foi a mudança no visual. Junto com o facelift sofrido em julho, a Chevrolet lançou uma versão aventureira, Activ. Pouco tempo depois, a marca criou uma versão de entrada, Joy, que manteve o visual pré-reestilização. Hoje, ela representa quase 40% das vendas do compacto. Modelos mais caros Pela primeira vez desde 2008, há modelos de outros segmentos, além de compactos, entre os 10 mais populares do país. Naquela época, o representante dos carros médios foi o Honda Civic, na 9ª colocação. Agora, o também sedã Toyota Corolla emplacou 64.740 unidades, suficientes para colocá-lo no 5º posto. Algumas posições abaixo, o Honda HR-V é outro "intruso" na lista de carros "populares", com 55.771 carros vendidos e a décima colocação no ranking. Os dois modelos possuem versões acima dos R$ 100 mil. A propósito, a disputa entre os SUVs foi acirrada, com o Renegade ficando a apenas 4.190 veículos do maior rival. O Jeep emplacou 51.581 unidades ao longo do ano. Diversidade Além de modelos mais caros, 2016 é o ano em que mais marcas colocaram veículos entre os 10 mais vendidos no país. Até então, o número de fabricantes neste grupo era de no máximo 6 - Fiat, Chevrolet, Volkswagen, Ford, Renault e Hyundai. Agora, Honda e Toyota se juntam ao grupo. Isso mostra que o mercado brasileiro está mais dividido. A participação das chamadas "3 grandes" (Fiat, Chevrolet e Volkswagen) tem caído com o tempo. Dez anos atrás, elas tinham uma fatia de mais de 70% do mercado. Em 2016, a porcentagem não chegou a 45%. Estreantes Entre os principais lançamentos de 2016, o mais bem colocado foi a Fiat Toro, o 14º modelo mais popular no país, com 41.283 unidades emplacadas. A picape chegou a liderar o segmento em outubro. A Toro foi a primeira grande novidade a ser lançada, ainda em fevereiro. Com mais tempo de mercado, é natural que ocupe o primeiro posto nesta comparação. Outro lançamento da Fiat no ano, o Mobi, apresentado em abril, aparece logo atrás, na 22ª posição entre os mais vendidos, com 28.731 unidades. O Nissan Kicks é outro modelo inédito entre os 50 mais vendidos. Ele fechou 2016 com 10.712 carros emplacados, em 47º. Fonte: Auto Esporte
  12. Além do novo visual, os novos Onix e Prisma foram anunciados com aprimoramentos no conjunto mecânico. Os propulsores 1.0 e 1.4 litros dos compactos da Chevrolet receberam novos componentes, tanto é que passaram a se chamar SPE/4 ECO, e adotaram ainda uma nova transmissão manual de seis marchas em todas as versões. Segundo a montadora, o hatch está até 18% mais econômico e o sedã, 22 por cento. Devido a essas mudanças, os novos Chevrolet Onix e Prisma com ambos os motores receberam nota máxima A (na comparação relativa na categoria e na absoluta geral) e selo Conpet de eficiência energética pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular do Inmetro. No entanto, o pseudo-aventureiro Onix Activ recebeu nota A na comparação relativa na categoria e B na absoluta geral na versão com câmbio manual e C e B, respectivamente, sem selo Conpet, na configuração com transmissão automática. O Onix LT automático e o LTZ automático também receberam nota B na comparação absoluta geral Confira abaixo os números de consumo dos novos Onix e Prisma: Números de consumo da linha anterior entre parênteses Onix 1.0 LS e LT com câmbio manual de 6 marchas Etanol 8,8 km/l – cidade (7,8 km/l) 10,5 km/l – estrada (9,2 km/l) Gasolina 12,9 km/l – cidade (11,5 km/l) 15,3 km/l – estrada (13,5 km/l) Onix 1.4 LT e LTZ com câmbio manual de 6 marchas Etanol 8,6 km/l – cidade (7,9 km/l) 10,2 km/l – estrada (9,6 km/l) Gasolina 12,5 km/l – cidade (11,5 km/l) 14,9 km/l – estrada (13,6 km/l) Onix 1.4 LT e LTZ com câmbio automático de 6 marchas Etanol 7,9 km/l – cidade (6,9 km/l) 9,6 km/l – estrada (8,5 km/l) Gasolina 11,7 km/l – cidade (9,9 km/l) 13,9 km/l – estrada (12,2 km/l) Onix 1.4 Active com câmbio manual de 6 marchas Etanol 8,3 km/l – cidade 9,4 km/l – estrada Gasolina 12,4 km/l – cidade 13,8 km/l – estrada Onix 1.4 Active com câmbio automático de 6 marchas Etanol 7,7 km/l – cidade 8,6 km/l – estrada Gasolina 11,2 km/l – cidade 12,6 km/l – estrada Prisma 1.0 LT com câmbio manual de 6 marchas Etanol 8,9 km/l – cidade (7,8 km/l) 10,8 km/l – estrada (9,2 km/l) Gasolina 13,1 km/l – cidade (11,5 km/l) 15,8 km/l – estrada (13,5 km/l) Prisma 1.4 LT e LTZ com câmbio manual de 6 marchas Etanol 8,8 km/l – cidade (7,9 km/l) 10,7 km/l – estrada (9,6 km/l) Gasolina 12,9 km/l – cidade (11,5 km/l) 15,4 km/l – estrada (13,6 km/l) Prisma 1.4 LT e LTZ com câmbio automático de 6 marchas Etanol 8,1 km/l – cidade (6,9 km/l) 10,2 km/l – estrada (8,5 km/l) Gasolina 11,9 km/l – cidade (9,9 km/l) 14,7 km/l – estrada (12,2 km/l) Clique aqui para conferir a lista completa. Fonte: Notícias Automotivas
  13. Nossa reportagem levantou os valores das revisões de Chevrolet Onix, Hyundai HB20 e Ford Ka nos três primeiros anos de garantia Faltando poucos dias para o encerramento de 2016, os três modelos mais vendidos do no ano, na ordem, serão Chevrolet Onix, Hyundai HB20 e Ford Ka. Um dos grandes argumentos de vendas das concessionárias é o custo de revisão de seus modelos. Para facilitar a vida do consumidor, nossa reportagem levantou os valores das revisões nos três primeiros anos de garantia do Top 3 do mercado nacional. A Chevrolet e a Ford praticam os mesmos preços de revisões para o Onix 1.0 e 1.4 e o Ka 1.0 e 1.5. Já a Hyundai pratica valores diferentes para as versões 1.0, 1.0 Turbo e 1.6. Dos três modelos, o Ka é o modelo que tem o custo de manutenção mais baixo durante os três primeiros anos, o HB20 ficou com o segundo lugar e o líder Onix é o modelo mais caro para se manter no período de garantia contratual. Entre as opções com motorização 1.0 aspirada, o Ka é o vencedor no período de garantia contratual. O hatch da Ford tem custo total durante os três anos de R$ 1.040. Das três opções, o HB20 é o único que conta com cinco anos de garantia. Mas, como os concorrentes oferecem somente três anos, levantamos somente os custos dos primeiros 36 meses do modelo coreano. Com o valor de R$ 1.057, o HB20 1.0 é o segundo modelo com as revisões de menor custo. O Onix que é o modelo mais vendido do mercado, é o único das três opções que não conta com motorização de três cilindros. Para manter o hatch em dia com as revisões contratuais o cliente irá gastar R$ 1.252. Já com motores acima de 1.0, o Ka também é o modelo que tem o custo de manutenção mais baixo. As versões equipadas com motor 1.5 tem custo total durante os três anos de R$ 1.040. Durante os três primeiros anos, o proprietário do HB20 irá pagar R$ 1.177 de revisão, que o deixa com a segunda posição. Assim como 1.0, o Onix 1.4 é o modelo que tem a manutenção mais alta dos três. Durante o período de garantia, o valor gasto será de R$ 1.252. Além dos motores 1.0 e 1.6, o HB20 é o único que conta com opção 1.0 Turbo. Porém, o custo de manutenção do modelo é alto. Enquanto, as versões 1.0 e 1.6 contam com revisão a cada 10 mil km ou um ano, as opções com motor turbo têm que efetuar a troca de óleo e filtro de óleo a cada 10 mil km ou seis meses, prevalecendo o que ocorrer primeiro. Neste caso, levando em conta os valores das revisões anuais e das trocas de óleo semestrais, o proprietário i gastará R$ 1.810,60. Veja nas artes abaixo, os custos e itens substituídos nas revisões: Artes e notícia original | Autos Segredos
  14. O LTZ é a versão topo de linha do Onix, modelo campeão de vendas da Chevrolet no Brasil (Divulgação/VEJA) As montadoras costumam lançar diferentes versões de um mesmo modelo de carro. Essas diferenciações, que dependem do incremento de cada versão – tipos de rodas, de estofado ou de pintura, por exemplo -, são identificadas por siglas que acompanham o nome do modelo. Saiba o que significam as siglas criadas por diferentes montadoras. Chevrolet Joy – Na tradução, significa “alegria”. No mercado, identifica as versões de entrada de Onix e Prisma. Advantage – Tem a mesma função do Joy, mas para minivans (como a Spin) e picapes (S10). LS – Luxury Standard. Representa as versões de entrada de alguns modelos. LT – Luxury Touring. Versões intermediárias de alguns modelos e de entrada de outros. LTZ – Luxury Touring + a letra Z, por ser a última do alfabeto. Representa a versão de topo de linha. RS – Rally Sport. Identifica as versões esportivas dos modelos americanos. SS – Super Sport. Para versõs esportivas com apelo de maior exclusividade, um degrau acima dos RS. Fonte: Veja
  15. Além da nova geração do Cruze Sport6, a Chevrolet anunciou nesta semana a chegada dos planos OnStar para clientes da marca que possuem veículos com a tecnologia. O sistema de telemática oferecerá a partir da segunda quinzena de dezembro a opção de três planos: Safe, Protect ou Exclusive, variando de acordo com o modelo do veículo. “Chegamos na combinação de serviços que nossos consumidores desejavam após um profundo estudo de mercado. Percebemos que não havia uma solução no mercado que fosse semelhante ao OnStar. Ainda entendemos que os clientes gostariam de ter opções desde um plano como o Safe com app/portal, diagnóstico e recuperação veicular até um plano como o Exclusive que inclui todos os serviços OnStar, com pilares de emergência, segurança, diagnóstico, conectividade, concierge e navegação”, disse Péricles Mosca, diretor do OnStar para América do Sul. No caso do plano Safe, o valor mensal é de R$ 50. Já o plano Protect terá mensalidade de R$ 65. Por fim, o plano Exclusive tem preço de R$ 80 ao mês. O pagamento pode ser feito à vista por boleto (com condições especiais) ou em 12 vezes. Confira abaixo os itens disponibilizados por cada plano: Plano Safe – R$ 50/mês Assistência de recuperação veicular Sensores para prevenir furto Diagnóstico Remoto Diagnóstico Avançado Travar/Destravar Portas / Luzes & Buzinas Alertas de Segurança como valet, velocidade e movimento Siga-Me/Localize-Me Plano Protect – R$ 65/mês Plano Safe Chamadas de emergência pelo App e botão SOS no veículo Bom Samaritano Monitoramento em rota Resposta automática de acidentes Socorro mecânico e elétrico (Chevrolet Road Service) Destino Seguro Os clientes do plano Protect continuarão tendo período de cortesia de três meses e, após este período, para seguir com os benefícios do plano Exclusive, pagará R$ 15 por mês até o termino do período de degustação original. Plano Exclusive – R$ 80/mês Plano Protect Navegação por setas Navegação integrada Envio do destino ao MyLink através do botão OnStar no veículo ou pelo aplicativo Informações sobre Pontos de interesse Concierge Outra novidade anunciada pela Chevrolet é que o OnStar agora oferece download de mapas de forma automática e comprimida no aplicativo para iOS. Há ainda o Diagnóstico Avançado, disponível para todos os planos, que além de informações referentes ao veículo (como quilometragem total percorrida e pressão instantânea dos pneus), permite ao usuário consultar a situação do motor, transmissão, airbag, controle de tração, freios ABS, emissões e OnStar. Esse recurso realiza o check-up do veículo ao toque de um botão e, caso encontre alguma anomalia no veículo, envia um alerta para o usuário, orientando sobre o melhor procedimento. Fonte: Notícias Automotivas
  16. ONIX 2013 - 2016 2ª Revisão: 20.000Km ou 24 meses O que deve ser feito: Troca do: filtro de combustível, filtro de óleo, óleo e filtro do sistema de ventilação (filtro de pólen). Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$117,00 - 4 x R$96,00 - 4 x R$134,00 - 4 x R$130,00 - 4 x R$125,00 ONIX 2017 > 2ª Revisão: 20.000Km ou 24 meses O que deve ser feito: Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Substituir fluido de freio a cada 2 anos. Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$111,00 Agendamento Online Localizar uma concessionária
  17. ONIX 2013 - 2016 5ª Revisão: 50.000Km ou 60 meses O que deve ser feito: Troca do filtro de óleo e de combustível, substituição da correia dentada, verificação das correias de acessórios e troca do óleo. Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$176,00 - 4 x R$161,00 - 4 x R$193,00 - 4 x R$188,00 - 4 x R$106,00 ONIX 2017 > 5ª Revisão: 50.000Km ou 60 meses O que deve ser feito: Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Tipo de óleo: Dexos 1 ou equivalente de qualidade API SN, ILSAC GF5 ou superior e de viscosidade SAE 5W30. Quantidade: 3,50L (incluindo substituição do filtro). Custo da revisão: 4 x R$92,00 Agendamento Online Localizar uma concessionária
  18. Chevrolet Onix Activ (Foto: Divulgação) A Chevrolet aproveitou o lançamento da linha reestilizada da dupla Onix e Prisma para anunciar a estreia do hatch renovado no segmento dos aventureiros. O Onix Activ chega às concessionárias da marca por preços que partem de R$ 57.190 na versão manual e vão até R$ 62.290 na configuração automática, avaliada por Autoesporte. Com visual mais imponente do que o modelo que lhe deu origem, o hatch com apelo fora de estrada estreia com uma suspensão elevada em três centímetros, se comparada aos modelos convencionais, pneus maiores e rodas exclusivas. Como novidade, traz um painel redesenhado, em duas cores, e com um grafismo que se une às forrações de porta – que por sua vez mesclam plástico rígido e tecido na cor laranja. Outros itens inéditos são o sistema Mylink 2 (associado ao Onstar) e compatível com Android Auto e Apple CarPlay, a câmera de ré, o sensor de chuva e a direção elétrica (para toda a linha). O Onix Activ chega em versão única, com o motor 1.4 “ECO” e transmissão de seis velocidades, manual ou automática. A missão do Activ não vai ser fácil. Ele terá que enfrentar concorrentes que estão na estrada, ou fora dela, já faz algum tempo. O principal deles é o Sandero Stepway Easy'R (automatizado), que traz os mesmos itens do GM, menos o sistema Onstar, e é comercializado por preços que partem de R$ 60.100. Há também, o Volkswagen Crossfox Imotion, que custa R$ 69.990 e fica devendo câmera de ré, se comparado ao carro testado. Já o Hyundai HB20 X automático, o mais caro de todos, tem preços que partem de R$ 64.245, e ainda assim não traz bancos de couro ou sistema BlueMedia (de entretenimento). Chevrolet Onix Activ (Foto: Divulgação) Impressões ao volante Atrás do volante multifuncional, que só regula em altura, a posição de dirigir é ainda mais elevada do que no carro "civil". A ótima visibilidade deve agradar a turma que gosta de olhar o mundo por cima. Segundo a Chevrolet, a linha de visão fica quatro centímetros mais alta. Os bancos forrados de tecido são confortáveis e a posição para guiar, contudo, agrada. Quando comparado aos irmãos de plataforma, o Activ tem nível de ruído menor dentro da cabine. O mérito está nos pneus comuns de perfil 195/65 R15, mais silenciosos do que os verdes aplicados nas demais versões. O ótimo nível de conforto é assegurado pela firme suspensão composta por McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira. Os três centímetros a mais de altura e os pneus com perfil mais alto ajudam o carro a vencer pequenos obstáculos e imperfeições das vias com mais facilidade. Segundo a marca, o ângulo de ataque melhorou em 20%. Além disso, a viagem no banco traseiro do aventureiro é mais tranquila, graças às molas e aos amortecedores recalibrados que garantem um rodar mais macio para a turma do fundão. Chevrolet Onix Activ (Foto: Divulgação) O Activ é tão gostoso de dirigir como o LTZ. Seu motor 1.4 flex de 106 cv e 13,9 kgfm casa bem com o câmbio automático de seis velocidades, proporcionando um bom desempenho tanto em trechos rodoviários como em perímetros urbanos. Como no hatch comportado, viaja a 120 km/h com o ponteiro das rotações apontando para os 3 mil giros. A transmissão automática (de terceira geração) foi reescalonada para combinar com a proposta de baixar os níveis de consumo. As trocas são efetuadas com rapidez e suavidade, embora haja pequenos vacilos em algumas retomadas. Na alavanca, o botão para passagens manuais propicia certa agilidade e controle, mas poderia estar mais bem localizado. Se fosse por toques na alavanca ou por aletas no volante, as trocas sequenciais seriam mais intuitivas. Na pista, foi de 0 a 100 km/h em 12,8 segundos, mais do que os 10,7 segundos feitos pelo HB20X. A despeito do motor renovado e da transmissão GF6 de terceira geração, o carro anda menos até que o Prisma automático, que cumpriu a mesma prova em 11,3 segundos e pesa apenas sete quilos a menos. Falando no peso, o Onix ficou mais leve no facelift, mas o Activ e seus penduricalhos offroad acrescenta 20 kg na balança. Para retomar a velocidade de 60 a 100 km/h foram gastos 7,4 segundos, superior aos os 6,5 segundos praticados pelo Hyundai. E para chegar à imobilidade, vindo de uma velocidade de 80 km/h, foi necessário uma distância de 29,7 metros, bem mais do que os 26,6 metros que o HB20X precisou para estancar. Chevrolet Onix Activ (Foto: Divulgação) Como nas demais versões, a direção elétrica progressiva não é muito direta e, segundo a GM, foi recalibrada para garantir mais segurança ao irmão mais alto da família. Durante o test-drive, que em sua maioria aconteceu em trechos rodoviários, não deu para perceber a diferença de ajuste. Atrás, há espaço para três pessoas, mas apenas duas contam com cintos de três pontos e encostos de cabeça. Como nos semelhantes, o duto central elevado atrapalha a acomodação dos pés de quem viaja no centro. Chevrolet Onix Activ (Foto: Divulgação) Custo benefício O Activ vem de série com o trivial pacote composto por ar-condicionado, direção elétrica, trio elétrico (todos os vidros com função “um toque”), freios ABS e duplo airbag. Completam a lista o sistema de Mylink 2, agora compatível com Android Auto e Apple Car Play, rádio, GPS, Bluetooth, comando de voz, acesso a internet, câmera de ré, entrada USB e tela sensível ao toque de 7” com botões físicos no painel. O sistema de entretenimento é intuitivo, fácil de operar e está associado ao recurso Onstar, que além de oferecer mais de 20 serviços de emergência, segurança, navegação, concierge e conectividade, traz como novidade uma ferramenta de serviço de diagnóstico responsável por conferir a quilometragem total percorrida e a pressão dos pneus. O interior bicolor apresenta as cores preto e laranja, única opção, no painel e nas forrações de porta. Os bancos também trazem a tonalidade laranja. O Activ é mesmo um carro para quem quer exclusividade, ainda que o tom aplicado seja muito parecido com o do rival direto Renault Sandero Stepway. Por fora, o modelo se diferencia pelas molduras de plástico nos para-lamas e contornos dos faróis de milha, defletores dianteiro e traseiro na cor prata, barras longitudinais de teto (com carga para 50 quilos) e exclusivas rodas de alumino usinadas de 15”. É oferecido em seis opções de cores: Laranja Burning (metálica), Branco Summit, Prata Switchblade, Cinza Graphite, Vermelho Carmim e Preto Ouro Negro. Chevrolet Onix Activ (Foto: Divulgação) Vale a compra? Sim. O Onix Activ é tão gostoso de dirigir como a versão LTZ do hatch. A suspensão mais elevada e recalibrada atua em conjunto com os pneus maiores, para garantir mais conforto aos ocupantes, principalmente os que sentam no banco traseiro. O conjunto mecânico empurra bem seus 1.092 quilos, a despeito dele ser o pior de desempenho da gama. A estreia do Activ no segmento da turma que gosta de rodar fora do asfalto põe a GM na briga por uma fatia de mercado até então inexplorada. Sem grandes pretensões de fazer volume, o carro deve representar entre 7% e 8% do mix da linha. O hatch representa um belo reforço para o modelo continuar olhando apenas para o retrovisor, quando se fala em participação de mercado. Teste Aceleração 0 - 100 km/h: 12,8 s 0 - 400 m: 18,6 s 0 - 1.000 m: 34,6 s Vel. a 1.000 m: 147,5 km/h Vel. real a 100 km/h: 98 Retomada 40-80 km/h (Drive): 5,7 s 60-100 km/h (D): 7,3 s 80-120 km/h (D): 9,7 s Frenagem 100 - 0 km/h: 45,7 m 80 - 0 km/h: 29,7 m 60 - 0 km/h: 15,4 m Motor Dianteiro, transversal, 4 cil. em linha, 8V, comando simples, flex Cilindrada: 1.389 cm³ Potência: 98/106 cv a 6.000 rpm Torque: 13/13,9 kgfm a 4.800 rpm Câmbio: Automático de 6 marchas, tração dianteira Direção: Elétrica Suspensão: Indep. McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.) Freios: Discos ventilados (diant.) e tambores (tras.) Pneus: 195/65 R15 Comprimento: 3,95 m Largura: 1,73 m Altura: 1,55 m (com bagageiro) Entre-eixos: 2,52 m Tanque: 54 litros Porta-malas: 280 litros (fabricante) 313 litros (aferido AE) Peso: 1.092 kg Fonte: Revista Auto Esporte
  19. A GM decidiu criar uma nova versão de entrada para a dupla Onix e Prisma, que receberam atualização nas versões LT e LTZ, tendo ainda originado a opção aventureira Activ para o Onix. Chamada Joy, a gama de acesso dos compactos da Chevrolet vem com um pacote de equipamentos diferente do habitual e com mudanças importantes na mecânica. Custando R$ 38.990 no caso do Onix Joy e R$ 42.990 no Prisma Joy, a dupla de acesso aproveita o visual do modelo 2016, destacando-se mudanças sutis nos para-choques, faróis com lentes claras e detalhes em preto, sendo eles grade, maçanetas, colunas e retrovisores. Além disso, os Onix e Prisma Joy ganharam novas calotas aro 14 e pneus verdes 185/70 R14. Por dentro, o acabamento foi simplificado e agora apresenta tons de preto e cinza, este último na parte central do painel e portas. Falando nas portas, o visual mudou no Onix Joy, que agora tem puxadores comuns e mais elevados, enquanto o Prisma Joy manteve os que já existiam. A GM diz que o cliente do hatch queria mudança nesse caso, mas os do sedã não ligam para isso. As diferenças da dupla Joy também podem ser notadas no porta-malas, onde o Onix perdeu o revestimento das caixas de rodas, o que permaneceu no Prisma. Mas voltando ao interior, a coluna de direção não tem ajuste de altura e todos os detalhes não apresentam nenhum item que deixe o ambiente mais sofisticado. Até as maçanetas são de plástico sem acabamento. Aliás, as portas dão o que falar na linha Joy da Chevrolet. Além da diferença visual, o Onix agora dispõe de um novo console entre os bancos. O motivo é que o ajuste no desenho das portas tirou os botões dos vidros elétricos, agora centralizados no hatch. O Prisma continua com os comandos nas portas. Por fim, apesar dos vidros elétricos de série, as travas elétricas são vendidas como acessórios. O quadro de instrumentos tem bom visual, mas traz apenas o essencial: conta-giros analógico e display digital com velocímetro, hodômetro, relógio e nível de combustível. Não há computador de bordo e nem medidor de consumo, mas pelo menos há indicador de mudança de marcha. Os bancos têm padronagem simples e o traseiro é inteiriço e com apenas dois apoios de cabeça e cinto subabdominal central. A direção agora é elétrica e vem junto com o ar-condicionado. Os retrovisores são manuais, assim como os vidros traseiros. Nos acessórios divulgados, não há comandos elétricos para estes itens, mas há central multimídia com DVD, CD Player, sensor de estacionamento, alarme, rodas de liga leve aro 14 (diferentes para cada modelo) e chave com controle remoto, por exemplo. O sistema OnStar disponível para o Joy funciona através do aplicativo instalado no smartphone, possibilitando até medir a pressão dos pneus. Impressões ao dirigir As mudanças feitas pela engenharia da GM foram interessantes, já que Onix e Prisma Joy ficaram bem mais econômicos e mostraram um bom desempenho na pista de testes. O propulsor SPE/4 1.0 ECO tem pistões, anéis e bielas novas, além de reprogramação eletrônica, mudanças no arrefecimento e no sistema elétrico. Com tudo isso, ele passa a ter funcionamento com menor atrito e mais economia. O nível de ruído foi levemente atenuado. Mas, apesar das mudanças, continua oferecendo 78/80 cv a 6.400 rpm e 9,5/9,8 kgfm a 5.200 rpm, respectivamente com gasolina e etanol. O câmbio de seis marchas tem as primeiras curtas e a sexta para manter um giro baixo em cruzeiro. Assim, o conjunto permite boas retomadas e aceleração condizente com a proposta. A condução tem como ponto alto as trocas de marcha precisas e macias. Rodando a 110 km/h em sexta, o ponteiro marca 3.000 rpm. Mas, é apenas uma marcha de “descanso” do motor em cruzeiro, pois o SPE/4 1.0 não responde ao acelerador de forma alguma. Mas, nesse caso, o objetivo é manter o consumo baixo e o nível de ruído também, gerando conforto e economia. Com até 30 kg a menos (25 kg no Onix), a dupla recebeu ajustes na suspensão, que ficou 10 mm mais baixa, mas ao contrário dos Novos Onix e Prisma 2017, o ajuste é voltado para o conforto. Na pista de testes da GM em Indaiatuba/SP, tanto Onix Joy quanto o Prisma Joy se comportaram bem nos variados tipos de piso da pista, sendo o esperado para a proposta da dupla. O Onix, por sua característica, é mais ágil. Já o Prisma é mais comportado. Ambos apresentaram boa estabilidade, mesmo com pneus altos. Os freios são suficientes, tendo sido atualizados também. A direção elétrica é muita leve e precisa, deixando a condução mais agradável. No geral, em termos de condução, os Chevrolet Onix e Prisma Joy apresentam um comportamento melhor que os modelos anteriores. Em termos de acabamento, o visual ficou limpo demais e alguns itens que seriam esperados como de série, são oferecidos apenas como acessório. Pelo menos ar-condicionado e direção elétrica não foram cortados. Fonte: Notícias Automotivas
  20. Informações e valores das revisões do Chevrolet Onix 1.0 e 1.4 As revisões para efeito de garantia são realizadas a cada 10.000Km ou 12 meses. As trocas de óleo a cada 5.000Km são recomendadas somente em caso de uso severo. USO SEVERO Óleo do motor - troca Troque o óleo do motor com o motor quente, a cada 5.000 km ou 6 meses, o que ocorrer primeiro, se o veículo funcionar em alguma das condições de uso severas. O uso severo considera as seguintes condições: ■ Quando a maioria dos percursos exige marcha lenta durante muito tempo ou funcionamento contínuo com baixa rotação frequente (como no "anda e para" do tráfego urbano denso); ■ Quando a maioria dos percursos não passa de 6 km (trajeto curto) com o motor pouco aquecido; ■ Operação frequente em estradas de terra e areia; ■ Usado como táxi, veículo policial ou atividade similar; ■ Quando o veículo permanece, com frequência, parado por mais de 2 dias. Troque o óleo do motor com o motor quente, a cada 10.000 km ou 12 meses, o que ocorrer primeiro, caso não ocorra nenhuma das condições severas de uso. Informação retirada do Manual do Onix página 8. OPCIONAL Troca de óleo aos 5.000Km (ou 6 meses) - Preço variado - Troca do óleo e filtro. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/10078-troca-de-%C3%B3leo-nos-5000-km/ REVISÕES OFICIAIS ONIX 2013/2016 10.000Km (ou 12 meses) - 4 x R$49,00 - 4 x R$47,00 - 4 x R$49,00 - 4 x R$48,00 - 4 x R$55,00 - Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo e do filtro. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/11239-revis%C3%A3o-10000km/ 20.000Km (ou 24 meses) - 4 x R$117,00 - 4 x R$96,00 - 4 x R$134,00 - 4 x R$130,00 - 4 x R$125,00 - Troca do: filtro de combustível, filtro de óleo, óleo e filtro do sistema de ventilação (filtro de pólen). Troca do fluído de freio (mandatória a cada 2 anos). Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/14671-revis%C3%A3o-de-20000km/ 30.000Km (ou 36 meses) - 4 x R$127,00 - 4 x R$136,00 - 4 x R$157,00 - 4 x R$144,00 - 4 x R$153,00 - 4 x R$164,00 - Substituição do filtro de combustível, filtro de ar, filtro de óleo, troca do óleo e substituição das velas de ignição. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/11397-revis%C3%A3o-30000km/ 40.000Km - 4 x R$100,00 - 4 x R$98,00 - 4 x R$96,00 - 4 x R$114,00 - 4 x R$107,00 - 4 x R$120,00 - Substituição do filtro de óleo, de combustível e do sistema de ventilação. Troca do óleo. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/13655-revis%C3%A3o-40000km/ 50.000Km - 4 x R$176,00 - 4 x R$161,00 - 4 x R$193,00 - 4 x R$188,00 - 4 x R$106,00 - Troca do filtro de óleo e de combustível, substituição da correia dentada, verificação das correias de acessórios e troca do óleo. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/13656-revis%C3%A3o-50000km/ 60.000Km - 4 x R$141,00 - 4 x R$148,00 - 4 x R$173,00 - 4 x R$171,00 - 4 x R$248,00 - Substituição do filtro de ar, filtro de combustível, filtro de óleo, das velas de ignição e filtro do sistema de ventilação. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/13657-revis%C3%A3o-60000km/ 70.000Km - 4 x R$94,00 - 4 x R$96,00 - 4 x R$102,00 - 4 x R$107,00 - 4 x R$101,00 - Troca do óleo e dos filtros de combustível e do óleo. 80.000Km - 4 x R$94,00 - 4 x R$92,00 - 4 x R$114,00 - 4 x R$107,00 - 4 x R$120,00 - Troca do: filtro de combustível, filtro de óleo, óleo e filtro do sistema de ventilação. 90.000Km - 4 x R$127,00 - 4 x R$136,00 - 4 x R$144,00 - 4 x R$153,00 - 4 x R$164,00 - Substituição dos filtros de combustível, ar e óleo. Troca do fluído de freio e do óleo do motor. Substituição das velas de ignição. 100.000Km - 4 x R$190,00 - 4 x R$173,00 - 4 x R$222,00 - 4 x R$205,00 - 4 x R$142,00 - Troca das correias de acessórios e óleo do motor. Substituição dos filtros de combustível, óleo e sistema de ventilação. REVISÕES OFICIAIS ONIX 2017 > 10.000Km (ou 12 meses) - 4 x R$56,00 - Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/11239-revis%C3%A3o-10000km/ 20.000Km (ou 24 meses) - 4 x R$111,00 - Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Substituir fluido de freio a cada 2 anos. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/14671-revis%C3%A3o-de-20000km/ 30.000Km (ou 36 meses) - 4 x R$153,00 - Substituição do filtro de combustível, filtro de ar, filtro de óleo, troca do óleo, anel de vedação do bujão do cárter e substituição das velas de ignição. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/11397-revis%C3%A3o-30000km/ 40.000Km - 4 x R$107,00 - Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Substituir fluido de freio a cada 2 anos. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/13655-revis%C3%A3o-40000km/ 50.000Km - 4 x R$92,00 - Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/13656-revis%C3%A3o-50000km/ 60.000Km - 4 x R$251,00 - Substituição do filtro de ar, filtro de combustível, filtro de óleo, óleo, anel de vedação do bujão do cárter, velas de ignição e correia dentada de distribuição. Substituir fluido de freio a cada 2 anos. Tópico para discussão: http://clubedoonix.com.br/topic/13657-revis%C3%A3o-60000km/ 70.000Km - 4 x R$88,00 - Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. 80.000Km - 4 x R$111,00 - Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Substituir fluido de freio a cada 2 anos. 90.000Km - 4 x R$153,00 - Substituição do filtro de combustível, filtro de ar, filtro de óleo, troca do óleo, anel de vedação do bujão do cárter e substituição das velas de ignição. 100.000Km - 4 x R$145,00 - Troca do filtro de combustível (externo ao tanque), troca do óleo, filtro e anel de vedação do bujão do cárter. Substituição da correia de acessórios e do fluido de freio. Avaliação das concessionárias: http://clubedoonix.com.br/topic/11426-avalia%C3%A7%C3%A3o-das-concession%C3%A1rias/ *Peças e mão de obra inclusas no preço. Revisão Chevrolet
  21. Preços e informações atualizados.
  22. Acrescentado as versões e preços do Onix 2017.
  23. A General Motors do Brasil está silenciosamente substituindo uma importante peça do motor dos modelos Onix, Prisma, Cobalt e Spin. A prática, que talvez possa ser configurada como "recall branco", vem acontecendo sem divulgação pública e envolve a troca das travas e das válvulas de admissão dos motores 1.0 e 1.4. As peças apresentam um problema de fabricação que impede seu funcionamento adequado, o que pode levá-las a quebrar e afetar o funcionamento do motor. Segundo resposta oficial da GM do Brasil para a reportagem de Autoesporte, "algumas unidades de veículos Chevrolet ano-modelo 2013, todas com quilometragem rodada inferior a 20.000 quilômetros, podem necessitar, após uma verificação técnica, da eventual substituição das travas das válvulas de admissão e escapamento, face à falta de tratamento térmico destas travas pelo fornecedor, o que pode interferir na durabilidade dos componentes". À reportagem, a marca não revelou o número de unidades envolvidas no problema. Proprietários do modelo Onix relatam que o hatch perde potência repentinamente. Autoesporte localizou ao menos dez relatos semelhantes de diversos estados do país e, na grande maioria dos casos, os veículos tinham cerca de 10 mil quilômetros rodados quando começaram a apresentar falhas. Orientadas pela GM, as concessionárias têm agendado um “atendimento especial” para os clientes que levam seus carros às oficinas, mas não esclarecem a natureza do problema ou que a falha é recorrente. "Esta situação não representa qualquer prejuízo ao desempenho ou à segurança dos veículos. A rede de Concessionárias Chevrolet está preparada tecnicamente para o serviço e tem realizado contato telefônico com os proprietários dos veículos, para convidá-los a comparecer a uma concessionária Chevrolet para o procedimento de verificação e eventual substituição das travas. O serviço dura em média duas (02) horas e não tem custo para o cliente", informa o comunicado da GM do Brasil enviado a Autoesporte. Funcionários da rede autorizada Chevrolet confirmaram que o procedimento em questão é uma "campanha interna" da montadora para evitar problemas que foram diagnosticados nas travas de válvula. Segundo eles, há uma lista de chassis dos veículos envolvidos na campanha, e proprietários dos carros com este problema não são comunicados oficialmente. O reparo é feito quando o veículo passa pela concessionária para revisão periódica ou algum outro serviço. Foi o que aconteceu com o analista de marketing Alfredo Mainenti. Seu Onix não apresentou nenhum problema no motor, mas mesmo assim teve de passar pelo “atendimento especial” em uma concessionária no Rio de Janeiro. Após realizar a revisão periódica de 10 mil km, mesmo sem notar qualquer tipo de problema em seu carro, Alfredo foi orientado pela oficina a retornar em poucos dias para a troca das válvulas de admissão e escapamento. “Eles me falaram que era um atendimento especial. Na mesma hora eu falei ‘atendimento especial? Isso é recall’, mas eles disseram que não se tratava, pois não representava riscos à segurança”, conta Mainenti. No entanto, ao ligar para a central de atendimento para agendar o procedimento, Mainenti diz que a atendente se referiu ao caso como recall. A marca identificou o chamado com a orientação técnica "IT 030G/13", código usado pela GM para classificar o procedimento de substituição das válvulas. Outro ponto polêmico é como configurar o defeito como falha de segurança: numa ultrapassagem, a perda de potência pode ou não representar risco de acidente? O professor de engenharia mecânica da FEI, Silvio Shizuo, explica que defeitos nas travas das válvulas de admissão e escapamento podem causar perda de cerca de 25% da potência no motor. “Um veículo com menor potência vai sentir mais essa perda, um motor 1.0, por exemplo”, explica. Segundo ele, especialmente motores maiores poderão continuar funcionando com apenas três cilindros, mas com menos força e produzindo ruídos. Perda de potência é principal problema O Onix de Eduardo Teixeira tinha pouco mais de 7 mil km rodados quando, em uma estada de Minas Gerais, começou a perder potência, e a luz que alerta para problemas com a injeção eletrônica apareceu no painel. O carro havia sido comprado sete meses antes, e teve de ser guinchado para a concessionária. Da oficina saiu o diagnóstico: a haste da válvula havia se soltado e seria necessário substituir a junta do cabeçote, o balancim da válvula e a junta do coletor de admissão. Um conserto de importantes peças do motor que não sairia por menos de R$ 1.483. Em uma de suas visitas à oficina, Teixeira notou que um dos pistões havia sido avariado por conta do problema, mas não seria substituído. “Questionei o chefe de oficina se o pistão seria trocado e ele me informou que não”, conta. Apesar de o reparo ter sido coberto pela garantia, Teixeira não quer continuar com o carro e passou a exigir a troca do veículo por um novo. Ele alega que as diversas alterações feitas no motor original depreciam o valor final do veículo. Assim, o Código do Consumidor ampararia a substituição, mas a montadora se negou a realizar a troca. Atualmente, o Onix está estacionado em Divinópolis, a 100 km da capital Belo Horizonte, e espera por uma perícia judicial. Menos paciência teve Guilherme Torbitoni. Quando o analista e sua esposa Priscila Sousa decidiram trocar o Prisma que possuíam, optaram pelo recém-lançado Onix. O design do lançamento e a confiança que tinha com a montadora pesaram na decisão. “Eu tenho uma Montana e meu sogro tem um Cobalt. Minha mulher tinha um Prisma que nunca tinha dado problema e dei como forma de pagamento”, conta. O carro de Torbitoni começou a apresentar pequenos problemas com 150 km, mas foi quando o odômetro marcou 3 mil km que a “novela”, como o proprietário se refere ao caso, tomou proporções maiores. “A luz de injeção eletrônica acendeu e o carro ficou sem força, como se tivesse com um cilindro a menos, não desenvolvia velocidade”, conta. Os diagnósticos oferecidos pela oficina da concessionária em São Paulo afirmavam que se tratava de problema no sensor que detecta o fechamento do capô e que uma vela havia queimado. Além destes reparos, o veículo também teve a ventoinha e o chicote do motor trocados. Os reparos não solucionaram o problema, e o casal precisou levar o carro mais sete vezes a oficinas autorizadas pela Chevrolet em menos de três meses. Quando há defeitos nas travas das válvulas, é comum que o pistão se choque contra a válvula, causando, além da perda de potência, danos às peças. “A trava é justamente para unir a mola com a válvula. Se danificar a trava, a válvula fica solta. Então, o pistão bate na válvula e causa dano.Também faz barulho porque o pistão começa a bater na válvula e perde o sincronismo”, explica o professor de engenharia mecânica da FEI, Silvio Shizuo. Apesar de perdas de potência serem comuns também em outras situações, como altas temperaturas de dias quentes, uso excessivo de gasolina e dirigir com cargas muito pesadas no veículo, o especialista também confirma que os propulsores são fabricados com uma margem significativa para poderem atuar nessas condições sem apresentar os problemas relatados. Lançamento, Onix coleciona problemas Desde seu lançamento, o Chevrolet Onix já esteve envolvido em três recalls, por problemas distintos. No início do ano, 7.265 unidades do ainda novato foram envolvidas em um chamado por conta de problema nas rodas de aço, que poderiam cortar a parte interna dos pneus. Em junho, a razão para o chamado foi um problema na soldagem do suporte do pedal do freio, que também envolveu unidades do Prisma, Cobalt e Spin. Mais recentemente, no início de outubro, a GM do Brasil detectou problemas na soldagem de uma parte da estrutura dos bancos dianteiros. Com isso, mais 1.824 unidades do Onix e 859 do Prisma tiveram de visitar as oficinas autorizadas. Figurinha carimbada nos rankings de carros mais emplacados, foram vendidas 3.673 unidades do Onix em setembro. Desde que foi lançado em novembro do ano passado, mais de 110 mil unidades do hatch já foram comercializadas. Foram vendidos mais de 116 mil Chevrolet Cobalt e cerca de 50 mil Spin. Recall branco Especialistas ouvidos pela reportagem de Autoesporte explicam que qualquer defeito que tenha potencial de causar riscos à saúde ou segurança da população deve ser solucionado a partir da abertura de um processo de recall. Este procedimento prevê ampla divulgação do problema e solução gratuita a todos os afetados. Casos em que o defeito é resolvido por meio de um procedimento interno e sem que os proprietários sejam oficialmente convocados para o reparo são considerados recall branco, prática que infringe o Código de Defesa do Consumidor. “No recall branco, a empresa sabe que gera risco, mas não dá início ao procedimento previsto em lei. Assim, ela comete uma ilegalidade e a multa por isso pode chegar a R$ 7 milhões”, explica Marcio Marcucci, diretor de fiscalização do Procon-SP. “Quanto mais rápido fizer o recall, menos pessoas vão ter problemas”, afirma Maria Inês Dolci, coordenadora da associação de consumidores Proteste. “Se o defeito causou acidente, o consumidor pode solicitar na Justiça a reparação por danos morais e patrimoniais eventualmente sofridos”, complementa. (Colaborou Alberto Cataldi) Fonte: Revista Auto Esporte
  24. Chevrolet Onix Joy e Prisma Joy chegam custando R$ 38.990 e R$ 42.990 A GM está lançando no mercado nacional a dupla Chevrolet Onix Joy e Prisma Joy, opções de entrada da marca americana com preços a partir de R$ 38.990 e R$ 42.990. A proposta da GM é oferecer uma opção de entrada mais completa, econômica e com performance adequada. Além disso, os Onix Joy e Prisma Joy vêm com mudanças mecânicas, tendo motor 1.0 e seis marchas. No entanto, o visual é o antigo, tendo grades, retrovisores, maçanetas e colunas pretas. Por dentro, console e painel com visual novo, destaque para a nova instrumentação análogo-digital. Acabamento é exclusivo no Joy. De série, Onix Joy e Prisma Joy vêm de série ar-condicionado, direção elétrica, vidros dianteiros e travas elétricas, OnStar com pacote safe, rodas aro 14 com calotas, alerta de pressão dos pneus, aviso de mudança de marcha, painel análogo-digital, painel em dois tons, faróis com máscara negra e luzes de leitura. Oferecidos como acessório, controle de travas e vidros, multimídia com TV e DVD, CD player, rodas de liga leve aro 14, revestimento Premium dos bancos e itens de personalização. O pacote custa R$ 4.190. A GM introduziu modificações semelhantes às feitas nos Novos Onix e Prisma 2017. O motor SPE/4 ECO 1.0 com menor atrito, entregando 78/80 cv a 6.400 rpm e 9.5/9.8 kgfm a 5.200 rpm, respectivamente com gasolina e etanol. O câmbio é novo e tem seis marchas, sendo meio quilo mais leve que a anterior. A estrutura da carroceria recebeu mais aços de alta resistência para reduzir peso e aumentar a rigidez. Os Onix Joy e Prisma Joy dispõem de suspensão 10 mm mais baixa e recalibrada, bem como ajustes no sistema elétrico e arrefecimento. Novos pneus de baixa resistência à rolagem. Os freios foram igualmente recalibrados e com novos rolamentos. Reduzindo o peso geral em 30 e 25 kg a menos. Dessa forma, o consumo no Onix Joy é de 9,1/12,9 km/l na cidade e 10,8/15,3 /l na estrada, com etanol é gasolina. No Prisma Joy, os números são respectivamente 9,0/12,9 km/l na cidade e 11,1/15,6 km/l na estrada. Os Onix Joy e Prisma Joy vão de 0 a 100 km/h em 13,4/13,3 segundos e tem máximas de 167/172 km/h. Fonte: Notícias Automotivas